quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Maquiagem da década - 1910


          Na década de 1910, a indústria do cinema começava a despontar nos Estados Unidos. A produção de películas era frenética, as gravações estendiam-se por quase um dia inteiro, sem parar.

      Nessa época, os filmes de cinema eram muito “duros”, ou seja, eram preto-e-branco com poucas variações de cinza. O contraste entre o preto e o branco era muito “imediato”, faltava uma série de matizes de cinza para suavizar a imagem.

           Esse detalhe  técnico que, aparentemente, não tem nada a ver com um site de beleza e cosmética, na verdade tinha impacto imediato no rosto dos atores. Eles passavam um dia inteiro num estúdio fechado e absurdamente aquecido pela forte iluminação exigida pelos filmes de então. Resultado: em poucas horas, eles já estavam com o rosto ensopado de suor, que brilhava horrores.


         Muitos recorriam a uma solução aparentemente assustadora: talco. Lembre-se: as películas de então tinham poucos matizes de cinza, o rosto iria ficar branco de qualquer jeito no filme. Então, a diferença era quase que imperceptível. Mas dava para notar que alguma coisa estava estranha naqueles rostos. E Hollywood apelou para ajuda profissional.

          O que os atores precisavam era de um produto que, espalhado no rosto, uniformizava a cor e adiava o efeito “brilhante-suor” que o excesso de calor causava às faces de gente como Charles Chaplin, Buster Keaton e Mary Pickford. 

          Recorreram, então, a um polonês que havia se mudado com a família para os EUA em 1904 e, depois de uma passagem pelo estado do Missouri, resolveu se estabelecer em Los Angeles. Farmacêutico, ele mesmo fabricava rouges e cremes. Em 1914, ele criou para os estúdios de Hollywood uma maquiagem específica para atores de cinema, que não rachava nem endurecia (em inglês, “to cake”). Nascia, assim, o pan-cake, para preparar os rostos de atores para iluminação inclemente e filmes preto-e-branco com forte contraste. Qual era o nome do farmacêutico criador do pan-cake? Max Factor.

          Na década de 1920, Factor resolveu socializar a coisa, e lançou no mercado consumidor final sua linha de cosméticos, para que “toda garota se parecesse com uma estrela de cinema ao usar a maquiagem Max Factor”.






Retirado do Blog "Skin Body and Hair" de Julia Muscat

10 comentários:

  1. bem natural, adorei a matéria.
    Super interessante Tati
    tem matéria nova lá no blog, dá uma passadinha. :)
    Beijos.
    http://lizandramakeup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. amei seu blog lindo lindo lindo segue o meu beijos vamakeupeafins.blogspot.com.brl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, tentei visitar seu blog, mas deu endereço não encontrado... manda de novo o link.
      bjs

      Excluir
  3. Adorei o texto, não sabia de nada disso, é ótimo aprender coisas novas.

    Beijinhos flor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, logo logo tem post falando sobre a década de 1920! bjs

      Excluir
  4. Muito bacana o post!!
    Blog Atualizado, faça-me uma visitinha:
    www.belaclick.com

    !

    ResponderExcluir
  5. Oi flor, tudo bem?
    Adorei a matéria, muito interessante.
    beijos linda,
    http://divamaisbela.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. aqui é raro tati ter alguém com pele seca, eu sofro minha pele é super oleosa rs

    tem matéria nova lá no meu blog, dá uma passadinha. ;)
    Beeeeijos :*
    http://lizandramakeup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir